A educação é a base estrutural de um país

O estudo da história do pensamento econômico nos permite entender como as sociedades se desenvolveram ao longo do tempo. As mudanças de moeda de troca são exemplos claros disso. Há milhares de anos, o sal era usado como moeda, por não ser perecível, ser útil à todos e no momento em questão, por ter passado por um processo de refinamento, era um produto considerado valioso.
Só conseguimos entender como chegamos ao papel-moeda cujo valor sustenta-se apenas na credibilidade (conceito tratado no artigo: Bretton Woods, padrão-ouro e oferta de moeda deste blog), quando conhecemos o desenvolvimento, os momentos de evolução e regressão da economia.
Só identificamos que o retorno ao padrão-ouro seria benéfico quando entendemos os malefícios do dólar estar sendo utilizado como moeda de troca internacional e analisamos os recorrentes períodos de inflação em diferentes países.
A busca por informações em si deve ser feita de forma criteriosa, muita informação não é tão útil quanto pouca informação adquirida nos lugares certos. Aos que procuram entender economia, julguem as fontes pelos seus frutos, um certo nível de complexidade na linguagem é sinônimo de vasta leitura do autor, e muitas vezes é necessária para tratar de temas complexos de forma sucinta.
Da mesma maneira, julguem uma instituição de ensino pelas qualificações do corpo docente, e não pelo senso comum, tive o prazer de ter professores no mestrado como o Professor Cláudio Gontijo (ex-assessor do Itamar Franco, Ph.D nos Estados Unidos) entre outros que fizeram doutorado no exterior e doutores cuja formação é nacional e contribuíram para o desenvolvimento da academia e do mercado no Brasil, à exemplo do Professor Múcio Tosta Gonçalves e da Professora Íris Goulart.
Tudo isso nos remete à importância dos estudos na formação da sociedade como um todo, é através da educação fundamental por exemplo que o Brasil conseguiu formar hoje uma sociedade de pouco racismo (veneno que assola muitos países desenvolvidos). A formação dos professores de ensino fundamental se deu a partir do acesso a informações que tiveram, formando uma escala de adesão a um conhecimento útil que parte dos professores doutores.
Muitos prestaram um desserviço à humanidade através da educação, a segunda guerra se fundamentou em um livro cujo nome do autor, embora famoso, não me disponho a citar aqui, e só cheguei a ler por uma curiosidade característica da fase dos vinte e poucos anos, hoje me recuso a ler comentários de autores que disseminam o ódio travestindo-o de sabedoria.
Quando ensinamos em nossas escolas o respeito, a solidariedade, entre outros valores que elevam a dignidade humana, tais valores ficarão presentes na consciência dos indivíduos no futuro, ainda que procurem fugir deles pelos descaminhos da vida.
No ensino superior, uma ótima alternativa são os cursos para formação de tecnólogos, que por serem especializados, podem atender às profissões em que há oportunidades em abundância.
Investir em educação, tanto por parte do governo (com bolsas de incentivo) como por iniciativa individual, contribuem para a sociedade e a economia como um todo.

Mestre em Economia e Doutorando em Administração pela California International Business University. Atuou no mercado de capitais e derivativos entre 2004 e 2011 e como consultor nas áreas de Controladoria e Finanças do software de gestão SAP desde 2011 nas empresas: Applied Materials, Costco Wholesale, Anglo Gold Ashanti, Grupo Ferroeste, Tambasa, Usiminas, Eletropaulo, Celpa, Cemar, BRF, Leroy Merlin e Viapol. Curta a página MAM Economia no Facebook clicando na respectiva figura no menu direito da tela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *