Efeitos do terrorismo e de guerras na economia global

O evento lastimável ocorrido em Orlando no último final de semana me fez interromper por hoje a análise dos interesses dos agentes financeiros frente à taxa Selic para tratar de uma questão extremamente prejudicial à economia global, que é o terrorismo.
Ações desse tipo afetam a economia global mas as economias mais afetadas são justamente as dos países onde grupos extremistas recebem maiores recursos, o que acaba se tornando um tiro no pé por parte destes.
As bolsas americanas e européias estão sofrendo quedas no dia de hoje, obviamente não se trata apenas da previsão de uma breve queda na indústria do entretenimento nos Estados Unidos, até porque as ações da Disney estão em alta hoje. O que o mercado prevê é o que sempre acontece quando há atentados terroristas, que é o aumento de gastos públicos voltados para a guerra.
Embora uma parte significativa e crescente dos Estados Unidos seja à favor da retirada de todas as bases no oriente médio, dentre os quais estão os considerados libertários (movimento impulsionado por Ron Paul, também chamado de Tea Party) e da não intervenção da política americana nos países em zonas de conflito, atos terroristas trabalham em prol do desejo de vingança, tanto pelo aumento de gastos com o exército como pela deliberada imposição de restrições econômicas aos países onde há prevalência de grupos extremistas.
Quando há a intenção de aumento de gastos do governo, a tendência é também um acréscimo no endividamento dos países e aumento na taxa básica de juros, situação tratada no artigo anterior, onde falo sobre os interesses do governo perante a taxa Selic.
Endividamento por parte do governo americano pode levar à oferta de moeda do dólar, que inflaciona as moedas de todos os países (leia o artigo sobre o Bretton Woods neste blog), aumentando também a revolta contra os terroristas muçulmanos.
Basicamente, todas as atitudes terroristas corroboram para as atitudes ocidentais que eles tanto criticam, que são: aumento de sanções contra países que abrigam grupos terroristas, aumento na taxa de juros, expansão do militarismo ocidental no oriente médio e aumento do ódio ideológico contra muçulmanos no mundo todo.
Se levarmos em consideração todos os conceitos tratados acima, o terrorismo prejudica muito mais aos islâmicos do que ao mundo. Se os terroristas buscarem a paz, o sentimento de não intervenção por parte da população americana irá crescer (como estava crescendo), e todos irão se beneficiar.

Mestre em Economia e Doutorando em Administração pela California International Business University. Atuou no mercado de capitais e derivativos entre 2004 e 2011 e como consultor nas áreas de Controladoria e Finanças do software de gestão SAP desde 2011 nas empresas: Applied Materials, Costco Wholesale, Anglo Gold Ashanti, Grupo Ferroeste, Tambasa, Usiminas, Eletropaulo, Celpa, Cemar, BRF, Leroy Merlin e Viapol. Curta a página MAM Economia no Facebook clicando na respectiva figura no menu direito da tela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *