Temer tem tomado medidas certas

O presidente Michel Temer foi vaiado durante a festa de abertura dos jogos Paralímpicos, indago quais seriam os motivos que levaram os presentes a fazê-lo apesar da ótima gestão pública exercida por ele até o momento.

Não temos muito o que reclamar até aqui, logo que assumiu interinamente o cargo, o presidente reduziu a quantidade de ministérios e foi contra qualquer elevação da meta fiscal, foi a favor da redução da taxa de juros e ao mesmo tempo manifestou o respeito a autonomia do banco central em ter mantido a taxa Selic, incentivou a permissibilidade de cem porcento de participação de capital estrangeiro em companhias aéreas, seu governo foi responsável pelas vindouras privatizações de rodovias, pelo projeto de lei que limita os gastos públicos, está atuando na reforma previdenciária e está apoiando a implementação de atividades produtivas nos presídios.

Além de tudo isso, nosso presidente está sendo contra o projeto de lei que promove ajustes salariais para funcionários do poder judiciário. Se em pouquíssimos meses ele tem tomado atitudes tão assertivas, podemos esperar um governo extremamente eficiente nos próximos anos.

A solução para a saída da crise está no tripé: redução dos gastos públicos, privatizações e redução da carga tributária. E é exatamente a orientação que tem sido seguida até o momento, com exceção da redução da carga tributária, a qual necessitaria de uma força tarefa do poder legislativo para que pudesse ser feita, mas só de não ter havido elevação da meta fiscal já podemos comemorar.

Existe alguma finalidade em manifestações pró retorno de Dilma após a decisão do senado de afastar em definitivo a ex-presidente? Fico abismado por ela ainda ter recebido qualquer tipo de apoio diante de índices econômicos tão negativos, a continuação dessas manifestações além de ser absurdamente estúpida, é completamente inútil.

O que nos impede de finalmente apoiarmos um presidente que tem feito as coisas certas? Se este tomar medidas errôneas criticarei implacavelmente neste blog, mas o que nos cabe nesse momento é termos a confiança de que a situação do Brasil irá melhorar.

Mestre em Economia e Doutorando em Administração pela California International Business University. Atuou no mercado de capitais e derivativos entre 2004 e 2011 e como consultor nas áreas de Controladoria e Finanças do software de gestão SAP desde 2011 nas empresas: Applied Materials, Costco Wholesale, Anglo Gold Ashanti, Grupo Ferroeste, Tambasa, Usiminas, Eletropaulo, Celpa, Cemar, BRF, Leroy Merlin e Viapol. Curta a página MAM Economia no Facebook clicando na respectiva figura no menu direito da tela.

44 comentários

  1. A para , até parece piada , o que precisamos mesmo é de um bom professor de história ,para mostrar que em toda a crise é a mesma coisa muito bla bla blá e nada de se fazer uma ótima reforma politica baixar gastos é reduzir ministérios e principalmente salários desses sangue sugas chamados políticos e que ninguém bate de frente pra isso é quando algum de bom caráter aparece a cada milênio a história mostra que poderes “ocultos ” engavetam e nada realmente muda

  2. Pelo menos ele sabe falar português e não nos envergonha quando discursa.Os 2 anteriores,um semi analfabeto e a outra uma declarada terrorista cubana e ignorante, apesar de ter estudado mais um pouco, !3 anos de gestão populista e incompetente.Eles só ajudaram a eles mesmos na verdade e iludiram os otários. Lulalau e Dilma terrorista na cadeia por alta traição ao país.

    1. Comunista? Onde? Quem? Ah ! Sim … Comunista é aquele bicho criado lá na Guerra Fria que adorava comer criancinhas? Acho que no mundo atual “politicamente correto” seriam pedófilos né?
      Mas voltando um pouco a seriedade mediante a estupidez, caro Berwel, estude um cadinho só de História. Num precisa estudar muito não. Leia ai livros de 8o ano ou coisa assim, são livros simples pra garotada (mas que ja acho complexo pro seu entendimento). Mas leia-os e depois de fazer essa leitura veja se consegue aponta um ÚNICO (apenas UM) pais no mundo que tenha chegado efetivamente a ser COMUNISTA.
      Caso não saiba meu caro, comunismo NUNCA foi implantado me parte alguma do MUNDO. O perto que que chegou-se referem-se a países que implementaram algo próximo do SOCIALISMO (que é um caminho, é uma etapa para o alcance do COMUNISMO) e junto com ideia socialista implantaram ditaduras (ditaduras perversas algumas delas em algumas etapas com as quais discordo). Enfim, Comunismo no Brasil só na cabeça quem nunca leu um livrinho de História mesmo.

  3. Fala sério!? O Brasil merece ter o presidente que foi eleito democraticamente nas urnas e que se importa com sociedade, nunca um presidente envolvido em corrupção que fez acordos obscuros para tomar o poder. Esse governo atual está seguindo o projeto Ponte para o futuro que só vai trazer recessão e desigualdade social. Este modelo de medidas para sair da crise, eu já conheço e vivi e sei que não funciona, muito pelo contrário, só torna o país dependente das grandes potencias e escravo do FMI. Aguardem e verão….

    1. A eleição não tinha chapa Dilma/Temer? Então o vice não é eleito democraticamente? Se estava (e provavelmente está) envolvido em corrupção e fez acordos obscuros, por que foi escolhido como vice?

      1. Segundo sua lógica então Alexandre presumo que se você bateu panela para tirar a Dilma deverá fazer o mesmo para o Temer né não? Ou seja, quem lutou para a saída da “mocreia” como você mesmo diz deveria ajudar a saída do conde “Draculino”. daí pergunto a você caro Alexandre: vai nos ajudar na busca por eleições livres democráticas e diretas e “fora Temer”?

    1. Sobre o comentário do Fernando: Quem me dera fossem comunistas. Sonho todos os dias com a Revolução.
      Sobre o texto: se é bom pro mercado de capitais e a especulação financeira, é ruim para o povo.
      Sobre o texto e o comentário: os governos Lula e Dilma nunca mexeram na estrutura de ganhos de capital. Os bancos nunca lucraram tanto quanto nos 13 anos do PT. As grande empresas (redes varejistas, indústria de alimentos e bebidas e agronegócio) idem, e também nunca foram ameaçadas em seus negócios. Os fluxos de capital circulavam livremente pelo país, assim como os bens de alto luxo. Nunca se viu tanto veículo de mais de US$ 100mil circulando pelas ruas e, cada vez, com motoristas mais jovens. Quero saber: em que ponto os governos do PT se assemelharam ou chegaram perto do comunismo? Por tentar montar uma rede de proteção social e sustentação de pífio estado de bem-estar social? Uai, mas países de capitalismo ultra-desenvolvido não fizeram o mesmo? Bom mesmo era na década de 80, né? Hiper-inflação; over-night; migração em massa de mão de obra ultra-barata (quase escrava) do nordeste ao sudeste; desregulamentação total da atividade econômica… isso, sim, era bom pra vocês, né?!… Um pouquinho de Historia não faz mal a ninguém!

      1. Muitas e muitas outras verdades poderiam ser acrescentadas; porém, como a questão vem sendo tratada como se fosse um clássico futebolístico, seara que vale ganhar com gol irregular, apenas vale registrar o quão irrelevante possuir vasto currículo.

  4. Todos que estão pedindo a saída do Temer tem que ter a consciência de que isso não vai trazer o PT de volta ao poder. O que eles (PT) fizeram nos últimos anos através da manipulação da massa com programas frágeis (pensando na cadeia de programas em paralelo à evolução social dos beneficiados) foi maquiar os números, indicadores e através disso pautar suas campanhas moldando a cabeça dos que só enxergam isso e escondendo a verdade que apareceu agora com a forte crise que estamos vivendo.
    Aos que estão protestando nas ruas contra o Temer pensem em como vocês podem contribuir para um ambiente político que dê possibilidade de continuar as ações que estão sendo tomadas para tentar diminuir o tamanho do buraco feito ao longo de anos.
    A próxima eleição federal será em 2018. Até lá estudem os fatos e pensem nas ações ao longo do tempo, continuidade, e deixem lado o fanatismo. Todo fanático tem implícita a ignorância que os fazem cegos. Se o governo anterior fosse bom assim vocês não estariam nas ruas dia e noite protestando porque estariam dentro do trabalho de vocês. Não estaríamos como estamos hoje. Pensem nisso!!! Vamos cobrar sim, sempre, de qualquer um que esteja fazendo algo errado, mas não aumentem o problema.

    1. Ainda batem na mesma tecla de que grita Fora Temer é necessariamente um petista. As manifestações são em defesa da democracia, e não um retorno do PT. Isso poderia ocorrer com qualquer partido. Um governo ser considerado ineficiente não é motivo para impeachment. Isto abre uma brecha terrível! Sempre que elites acharem que um governo não atende seus interesses invoca “crises” para retirá-lo.
      Aí, como mágica, depois de feito o dólar alto já não é problema, e sim solução para as exportações, o primeiro semestre que foi de total fracasso vira pequenos “avanços” de 0,1% no PIB. E, como dito num comentário anterior, o tripé apontado como solução no texto já é um velho conhecido brasileiro que não leva a lugar nenhum.

      1. O caso do dólar com Dilma era assim na imprensa tratado:

        Se caísse, era ruim para as exportações, iria prejudicar os industriais brasileiros e bla bla bla.

        Se subisse, era ruim para o País pois prejudicaria as importações e empobreceria o povo.

        Enfim … não importa o que acontecesse no governo do PT era ruim … em todos os setores.

        E essa cambada de analfabetos funcionais compraram essas idéias.

      2. Concordo que nem todos que estão na manifestação são petitas, mas em qualquer imagem que você pegar vai ver uma bandeirinha da CUT ou de outros sindicatos e frentes que apoiam o PT. Sempre quem reivindica as “chamadas” para as manifestações, quem divulga os números de manifestantes é ligado ao PT. Não se pode generalizar, mas não ignore o fato que é manifestação política também.

        Vou ao encontro do que você falou: “…Um governo ser considerado ineficiente não é motivo para impeachment. Isto abre uma brecha terrível!…” e digo deixa o “cara” trabalhar!!

    2. Caro Marcelo,

      Considero-me um sujeito até até um “cadim” esclarecido” e um “pokim” estudado. E olha que nem bolsa de nada tive pra estudar ou comer.
      Daí que me vejo longe de ser um “manipulado” pro programas frágeis. E aliás, também longe de ser “petista”.
      Mas sou um sujeito que aprendi a ver que “programas frágeis” como você bem (mal) classificou serviram para trazer a tona, trazer a visibilidade uma gama de milhões de brasileiros que outrora viviam no sub mundo da miséria. Levou para universidades pessoas que antes eram “cunhadas” para serem reles serviçais, levou pros assentos dos aviões pessoas que so circulavam nas rodoviárias … e por ai vai.
      Resumindo a prosa: vamos pensar diferente? vamos … democracia é isso. Democracia é a essência da diferença. Mas pera la, vamos ter argumentos mais sólidos, mais consistentes, menos míopes porque assim todos vamos aprender um com outro aprendendo, por consequência, a respeitar-nos como diferentes em essência e pensamentos.

      1. Magno,

        Ok. Concordo que os programas e ações podem ter trazido à tona alguma visão da realidade sim e não estou aqui para desaprovar 100% ou aprovar 100%, mas continuo com a opinião da fragilidade deles ao longo do tempo.

        Não da para discutir isso aqui porque o texto seria grande ou com muitas respostas de ambos (e o horário de almoço está no fim..rsrs), mas basta ir no início dessa cadeia a que me refiro: por exemplo, no momento em que as escolas não mais reprovam seus estudantes e todos são aprovados sem ter o mínimo de condições para tal. Lá na frente eles conseguirão criticar esse ou aquele governo ou têm mais chances de “irem” com a maioria sem saber onde estão pisando?
        Não sei em números, mas sei que os indicadores divulgados mostra que o Brasil diminuiu e muito a questão do anafalbetismo. Será? Aprenderam o básico que ajude a formar uma opinião sólida sobre o difícil contexto que estamos inseridos?
        Isso é uma parte do que eu quis dizer. “Ao longo do tempo”. “Continuidade”…

        Colocando isso para a questão do sustento. Este ensino, base de tudo, é suficiente para o indivíduo entrar e ser competitivo no mercado de trabalho?
        Aí podemos considerar que um curso técnico pode sim ajudar e há iniciativas desse tipo bem sucedidas; não há como negar!
        Mas aí já vem uma dúvida quanto a formação técnica que dê o conhecimento necessário para competir com quem teve ou tem mais condições. Digo, se a educação básica é frágil (na minha opinião) por que a educação oferecida em um programa de curso técnico seria tão diferente? Vale ressaltar que mesmo em universidades vejo críticas dos docentes sobre o nível básico dos estudantes.

        Entendeu o que eu quis dizer de continuidade?
        Legal ter a oportunidade desse fórum e agradeço por não ter sido rude porque em nenhum momento foi minha intenção também.

        O debate é sempre saudável e tomara que possa estimular outros para que como você falou irmos aprendendo uns com os outros.

        1. Caríssimo Marcelo,

          Como disse anteriormente o bacana da Democracia esta na capacidade que ela tem de agregar as diferenças. Em seu primeiro texto posso dizer que discordava quase que na integralidade, em seu texto atual discordo com uma boa (senão grande) parte. Já é uma evolução né…

          Mas você fez um levantamento bastante pertinente ao qual quero me ater que é a questão da QUALIDADE ofertada pelo sistema educacional brasileiro. Meu caro, na minha humilde visão, você tem uma parcela de razão em questionar o resultado final, ou seja, a formação de pessoas com cada vez menos capacidade de análise e crítica, no entanto, diminui e muito seu campo de visão e deixa a desejar na sua argumentação ao “culpar” quase que exclusivamente a questão da reprovação escolar ou o ensino técnico.

          Senão vejamos…

          Em um primeiro momento digo que é absolutamente complicado definir um conceito do que venha a ser qualidade dentro da educação. Dependendo de quem você lê, de suas crenças, ideologias, fé etc você terá sua visão levada para um lado ou para outro.

          Tem um cara (um autor na verdade) que diz que “qualidade é um conceito histórico, que se altera no tempo e no espaço, vinculando-se às demandas e exigências sociais de um dado processo (de um dado momento)”. Ou seja, o que hoje é qualidade outrora já não foi ou vice versa. Conceitos mudam com o tempo e o de qualidade não é diferente. Tratando-se da educação essa questão é mais complexa ainda.

          Um outro cara que simplificou um cadim essa questão da qualidade na educação. Resumidamente ele escreveu que “qualidade [na educação] significa melhorar a vida das pessoas, de todas as pessoas. Na educação a qualidade está ligada diretamente ao bem viver de todas as nossas comunidades, a partir da comunidade escolar. A qualidade na educação não pode ser boa se a qualidade do professor, do aluno, da comunidade é ruim. Não podemos separar a qualidade da educação da qualidade como um todo, como se fosse possível ser de qualidade ao entrar na escola e piorar a qualidade ao sair dela”.

          Pra prosa não ficar muito longa: não conseguiremos discutir a questão da qualidade na educação olhando apenas um ou dois elementos que a compõem. Temos que pensar a educação como parte de nossa sociedade e como tal cheia de suas virtudes e vicissitudes. A escola não esta “a margem” da sociedade que vivemos, ao contrário, ela reflete essa vivência.

          Como estamos aqui num fórum discutindo a educação após lermos um texto de um economista, seguem alguns dados apenas para termos mais elementos na discussão:
          Temos em Belo Horizonte aproximadamente (segundo IBGE, CENSO 2010) 520 mil pessoas com idade superior a 15 anos que não possuem ensino fundamental (antigo primeiro grau – aqui incluem-se analfabetos até aqueles que não terminaram sua 8ª série ou 9º ano como preferir).
          O poder público municipal, por ordem constitucional, é que tem a obrigação de atender a todos aqueles que não estudaram ou não completaram seus estudos no ensino fundamental no tempo “correto”.
          Para atender ao público que parou de estudar foi implantado em BH a modalidade EJA (Educação de Jovens e Adultos) aberta a todos acima de 15 anos e que não tenham tido acesso a educação na época certa. No entanto, a EJA atende anualmente não mais que 21 mil pessoas, ou seja, temos uma demanda 520 mil e o poder publico ofertando apenas 21 mil vagas.
          Eu poderia trazer aqui uma série de outros dados sobre a situação da educação em nossa cidade, mas, além do espaço ser pequeno não sei até onde posso escrever sem a censura dos moderadores.

          Então só pra resumir a ópera, meu caro Marcelo, te digo que para conseguirmos a qualidade daqueles que formam temos que ver, avaliar e discutir o sistema educacional como um todo: discutamos a questão da aprovação ou não, mas também as condições do educador dentro de sala, da violência cotidiana na sociedade (e dentro das escolas), também o interesse do poder público em formar cidadãos pensantes (será interessantes pros nossos governantes que todos tenham discussões como a nossa agora? Como se manteriam no poder?), a situação da desigualdade social e racial. A questão da diversidade sexual e da própria sexualidade/ sexualização da própria sociedade e como a escola deve lidar com isso (como lidar com mães crianças ou crianças mães espalhadas pela cidade e dentro de nossas escolas – conheço algumas mães com 13 anos de idade – pasme). Em suma, no que se refere a educação/qualidade o “buraco é bem mais embaixo” do que as questões citadas por você meu caro mas discutindo, debatendo colocando argumentos, quem sabe não consigamos dar uma pitada de colaboração na busca de um pouco mais de justiça social tendo a escola como esse elemento transformador heim?

          Abraços!

  5. Talvez o SEU Brasil mereça um presidente como esse aí, o MEU Brasil merece um presidente honesto, sem um monte de processos no lombo, que não tente me enfiar pela guela um Romero Jucá. Exixtem homens sérios neste nosso país, temer não preenche muito esse quesito.

  6. Não acredito que um presidente interino que ascendeu ao cargo devido a uma terrível crise democrática seja a solução dos problemas do país. Longe disso. Precisamos urgente de uma reforma política para termos um sistema de governo mais sólido e imune a crises. Precisamos do Parlamentarismo

  7. “Cada povo tem o governo que merece”. Não à toa, o nosso é mau caráter, corrupto e traíra. E não é só o “presidento”! As eleições municipais estão aí e praticamente todos os candidatos vêm praticando estelionato eleitoral, fazendo inúmeras promessas que por lei não poderão cumprir.

    1. o que nos mata é esse recheio…passivo, que acata tudo e não se manifesta pra nada, é por causa dessa gente que o político mau caráter alcança seus intentos

  8. Romero Jucá já declarou em alto e bom tom a real motivação do afastamento da Presidenta Dilma. E ainda temos que ouvir um tecnocrata dizer que agora o Brasil tem o presidente que merece. Rapaz, sinceramente, eu desisto de falar em política nesse país…

  9. O que te faz pensar que toda pessoa que seja contra o TEMER golpista seja automaticamente um petista?
    O país se resume a números? Se a resposta for sim, o que 54 milhões de votos são em termos de números?
    Ah… Me ajuda aê!

    Vc só está olhando o lado empresarial da coisa! Vende seu voto/alma por qualquer coisa!

  10. Enquanto não derem qualidade ao voto vamos continur tendo esses safados no poder. Eleitor deveria ter curso superior neste país inferior. Só assim políticos como Renan, Cunha, Sarney, Collor e mais 750.000 nomes jamais chegariam ao poder. Mas não, deixem o pobrinho (de escola) votar.

  11. Ao que me consta a chapa eleita para a Presidência da Republica era Dilma/Temer, o certo seria os dois caírem, quem disse ao senhor que o Temer(mordomo de filme de terror de quinta) é honesto, não tem processos de corrupção a responder heimmmmmmmm?????????, para mim ele não passa é de um traíra de marca maior, falso. Se a Dilma não pode, ele também não,
    Chega de corruptos, de falsos bonzinhos, e quer saber??? ele não faz mais que a obrigação dele.

  12. JUCÁ – Você tem que ver com seu advogado como é que a gente pode ajudar. […] Tem que ser política, advogado não encontra [inaudível]. Se é político, como é a política? Tem que resolver essa porra… Tem que mudar o governo pra poder estancar essa sangria.

    MACHADO – Rapaz, a solução mais fácil era botar o Michel [Temer].

    JUCÁ – Só o Renan [Calheiros] que está contra essa porra. ‘Porque não gosta do Michel, porque o Michel é Eduardo Cunha’. Gente, esquece o Eduardo Cunha, o Eduardo Cunha está morto, porra.

    MACHADO – É um acordo, botar o Michel, num grande acordo nacional.

    JUCÁ – Com o Supremo, com tudo.

    MACHADO – Com tudo, aí parava tudo.

  13. Do que eu me lembro, em 1981 o então ministro do Planejamento Antônio Delfim Neto mergulhou o país na recessão e que o Brasil por lá permaneceu até 2003 quando o Lula chegou ao poder e transformou até mendigo em consumidor, além de transformar boa parte dos trabalhadores brasileiros em classe média, incluindo petralhas e coxinhas.
    Agora, que foi o Lula quem montou uma quadrilha organizada de ladrões do dinheiro público na República isto nem ele desmente.
    O problema do Brasil é esse eterno maniqueísmo: já que o voto é obrigatório é melhor votar no ladrão que faz ou no ladrão que nada faz?
    Respondam aqueles que mesmo sabendo da roubalheira defendem seus pares e criticam os ladrões que não dão lucro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *