WACC – Custo Médio Ponderado do Capital

Nas duas últimas publicações, tratei da fuga de capitais do Brasil promovida pela política de aumento da taxa de juros definida pelo FED (Banco Central Americano), mostrando que esta provoca um aumento do custo do capital na economia, concentrando investimentos nos Estados Unidos.

No capitalismo, títulos financeiros e moedas sem lastro são tratados como mercadorias em si mesmos, o modelo de produção de dinheiro a partir do uso do próprio dinheiro possui um custo, que é sempre levado em consideração por grandes investidores e empresas de grande porte. Esse custo pode ser medido pela ferramenta WACC – Weighted Average Cost of Capital  (Custo Médio Ponderado do Capital).

Explicando melhor esse conceito, na produção de um produto real, um carro por exemplo, deve-se levar em consideração os custos da lista técnica de materiais (materiais que são utilizados para se produzir veículos, como a borracha para a confecção de volantes) e os custos de mão-de-obra (considerando o roteiro de atividades que são realizadas para a montagem do carro). Até aí estamos falando da economia baseada na indústria, já quando tocamos no que François Chesnais chama de regime de acumulação financeirizado, que são as ferramentas de uma economia baseada em regras financeiras advindas do sistema capitalista em si, levamos em consideração também os custos do dinheiro puro e simplesmente. Esse custo do dinheiro é dividido entra dois tipos: o de capital próprio e o obtido através de financiamentos. Capital próprio é aquele que já faz parte da composição de uma empresa, enquanto que os financiamentos são obtidos através de empréstimos.

O WACC, está muito relacionado a uma teoria econômica tratada diversas vezes neste blog, chamada de custo de oportunidade, a qual afirma que para se engajar em um determinado investimento, deve-se levar em consideração o custo de oportunidade que se teria investindo em outro.

O cálculo do WACC é feito da seguinte maneira:

Quando os juros pagos pela dívida americana (lucro advindo do capital) estão maiores, os custos de capital também aumentam. Fazendo com que pessoas busquem investir mais em títulos financeiros do que na economia real.

Mestre em Economia e Doutorando em Administração pela California International Business University. Atuou no mercado de capitais e derivativos entre 2004 e 2011 e como consultor nas áreas de Controladoria e Finanças do software de gestão SAP desde 2011 nas empresas: Applied Materials, Costco Wholesale, Anglo Gold Ashanti, Grupo Ferroeste, Tambasa, Usiminas, Eletropaulo, Celpa, Cemar, BRF, Leroy Merlin, Viapol , Roche e ACG Capsules. Curta a página MAM Economia no Facebook clicando na respectiva figura no menu direito da tela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *